06/09/2015

Sem nome. Seu nome.


Nu
Insensível
Cortejando
Olhares
Lunares
Amorosos
Subjetivos

Esperando
Luizas
Irrelevantes
Salpicadas de
Amor

Gastava
Aventuras
Burras
Rindo.
Itália,
ela se fora.
Levando consigo
A arte do amar

Tava longe
Amor.
Risonha
Saltitante
Irrelevante
Luiza,
Ah, já se fora

E agora
Duvidava.
Um urso
Amarrava seu mundo
Rabugento
Doía
Olhar para frente
Olhar para o mar

2 comentários:

  1. Olá, Gabriela. Tudo bem?
    Adorei o poema, de uma simplicidade que envolve o leitor do começo ao fim.
    Como não se envolver e se identificar ?
    Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir