19/10/2015

Imagina.

Imagina seus poemas
Inscritos
Em circunferências
Andantes
Que caminham pela Avenida Paulista
Procurando no meio da calçada
Um pedaço de pão de queijo
Junto com um copo cheio de café amargo

Imagina agora a cana de açúcar
Que antes era chupada com gosto
De baixo do pé de manga
Na fazendo do seu avô
Se metamorfosear em álcool
Combustível para automóveis
Combustível para alma

Agora imagina só
A sua vida depender daquilo
Porque aos poucos o tempo transforma as pessoas em objetos
Ele se torna aquilo
Ela isso
E você vira o moço
Suíço
Cortado em diversos pedaços pela esposa
Amargurada

2 comentários:

  1. Oii adorei o poema, e adorei o seu blog, é muito lindo, te desejo muito sucesso por aqui, já estou seguindo, beijos!

    http://oblogdagarotateen.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Débora! Sucesso para você também.

      Excluir