15/10/2015

Saia dos nove anos.


O carro está andando devagar
Aproveita para se jogar
O caminhoneiro adoraria ver seu corpo nu deitado no banco ao lado
E o motoqueiro adoraria passar a moto por cima da sua cabeça

Pequenas
Eram as mãos
E as palavras
Monossilábicas
Não ditas
Protegidas por memórias

O pendrive já está na sua alma
Ele é azul
Verde
Cor de sabão derretido na saboneteira
Não tem como escapar
Já sei que fotos você tatua na virilha quando ninguém vê
Tá difícil de acreditar?
Então venha um dia aqui em casa
Preenchi o quarto dele com fotos suas
Oh, não faça essa carinha
Você adoraria ver o que eu fiz com ele
É claro que cortei cada dedo
Sim, os mindinhos também
Acha pouco?
Você deveria ter visto ele gritar
E suplicar
Para poder te amar
Alegou que eu era culpada
Do estupro
Do amor necessitado
Vê se pode?
Sou apenas uma saia curta barata que sua mãe te deu no aniversário de 9 anos

- Maria Aranha,

Nenhum comentário:

Postar um comentário