27/11/2015

O pai vê as luzes acessas?


Os copos de água nas mãos fazem as moléculas do corpo se quebrarem e se tornarem órfãs. As ligações são covalentes, constantes e sempre começam com: após o sinal diga o seu nome e a cidade da onde está falando. Lá no orelhão os números das prostitutas estão espalhados. Luana, Adriana, Carolina. Safada, Delicia, Gostosinha. Come com os olhos e sem talheres os rostos e pernas e pés e orelhas e melecas de nariz. A infantilidade faz o número da idade brotar no meio da testa. Não tenho RG, não sou de menor e vivo logo ali moço. O moço finge que acredita e pede: cuidado moleque. Mas é claro. Cuidado. Cuidado com os homens. Cuidado com os banheiros. Cuidado com as coisas que sufocam. Cuidado. Muito cuidado. Muito bem cuidado. Diz a mãe para o pai do menino. Ele finge que não escuta. Vai levar o filho consigo. Cuidado meu filho, a mãe chora. Cuidado com as bicicletas. Cuidado com as mulheres. Cuidado com o mundo. Ela o abraça. Me liga pelo orelhão que fica perto da casa de teu pai. Estarei esperando todos os dias. Cuidado com os números.

- Maria Aranha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário