28/01/2016

O zoológico tá dentro de mim.

tem uma aranha dentro de mim
tem uma selva instalada nas minhas
vias respiratórias
                                                    
tem um rugido pausado na minha garganta

os instintos continuam os mesmos
“olhe para os dois lados antes de atravessar”
“lave os pés antes de dormir”
“só beba água gelada”

ao quebrar nozes
um estalo no cérebro
e as artérias, veias, vasos
se fecham

o elevador dá uma parada brusca
ficamos presas mais uma vez
dentro de nós

mesmas

4 comentários:

  1. E, por muitas vezes, ficarmos presas dentro de nós mesmas é pior do que qualquer outra prisão.

    ResponderExcluir
  2. Interessantíssimo, pura arte, imaginação. Que inveja! Poesia de verdade, parabéns! Pois jamais estará extinto o instinto do corpo. Beijos, menina.

    ResponderExcluir