09/06/2016

A falta de amor era eminente, vista até sem óculos de grau.

com os raios do sol atrapalhando seus
olhos azuis
a única coisa que eu era capaz de enxergar era
o reflexo dos meus poemas

o próprio destino tinha te feito poesia

mas eu queria que teu corpo
(repleto de peças que não tinham sido encaixadas
e que iam seguindo uma procissão atrás de ti)
dançasse conforme a minha música
que tocava bem calada
quase em segredo
dentro de mim

só que
tendo como plateia uma multidão que nem me conhecer
conhece
dançamos cantamos bebemos
aquilo que está disponível

O vazio

essa é a única coisa que nos oferecem quando o vento é mais frio

que as pontas do dedo,
                                   que as extremidades de um sentimento.

3 comentários:

  1. Penso que a multidão é tu, e tu sabes que as gentes te reconhecem muito mais que te conhecem nesses olhos desafiadores.
    Vai com a calma de uma mãe, analisando a terra ... e por falar em terra, teus poemas são tão matriarcais, como ela.
    bom fim de semana.

    ResponderExcluir