30/10/2016

Água.

você faz uma simples
corrente de água
virar mar
dentro de mim
                     tô tendo que segurar nas bordas do meu ser
                     pra não morrer afogada

16/10/2016

Sem título.

O que me preocupa são esses seus olhos
Eles me fazem perguntas sem pontos de interrogação

09/10/2016

Entrelaçar de dedos no meio da noite.

Esqueci de te dizer que
O momento mais feliz
Foi quando nos encontramos
Cruzando a vida um do outro
Sem nem antes perceber que o futuro
Tinha uma lâmpada prestes a queimar
Lá no fundo
[de nossas almas

Eu tive que te recriar na minha mente pra poder dormir bem
                Teu colo reconforta minhas dores
                Nas costas na alma nas juntas
                Nas vontades que surgem e      somem
                                                                                             
Teu toque arranca de mim
todas as vozes que ficaram
sufocadas
Teu toque arranca
                uma a uma
Todas as minhas vontades de gritar
Teu toque desarma a bomba que existe dentro de mim

Mas as vozes
Que não param de cochichar
Dão ao teu silêncio
O pior dos significados
E dão aos teus olhos cansados
Um espelho que reflete minha
Alma
                Escondida no canto do quarto
                Ninguém consegue ver
                               Meu choro inunda o travesseiro

E você não sabe
Que ando procurando teus sorrisos nos álbuns antigos que já estão amarelados
E você não sabe
Que ando procurando em mim mesma algum motivo pra dizer
Adeus
E você não sabe
Que cansei de me carregar sozinha e agora deixo pra você
o peso do meu medo

Os trilhos
Os metrôs
Os espaços que ocupamos
Agora carregam a lembrança de nossas vozes
                Que quando muito altas assemelham-se a um pedido de socorro
                E quando muito baixas assemelham-se a uma risada

o mundo nos quebrou e algumas partes tuas ainda encontram-se
                                                                                               perdidas